Menu

logo secrailogo secrai editora

QUANTO TEMPO PARA MUDAR?

 

William James dizia que o ser humano é uma “coleção de hábitos” . Quando avaliamos o processo de mudança do caráter descobrimos que ele se dará processualmente. É mais fácil aprender do que reaprender. É mais fácil educar um filho, do que depois ter de reeducá-lo. É mais fácil investir na construção de um casamento, do que depois ter de restaurá-lo. Reformas são sempre trabalhosas, mas são possíveis de serem feitas! O Salmista falando da restauração de Israel após o cativeiro, disse: “Os que com lágrimas semeiam, com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes” . Se você quer os feixes de vitória numa área do seu caráter, será necessário investir nesta terra: semeando, andando e por vezes, chorando. O processo não é “romântico”, como alguém orar por você e dizer: “Receba o caráter!”. Não! Muita perseverança deverá estar envolvida neste processo.

Fico preocupando com encontros de um final de semana que prometem mudanças miraculosas e imediatas. A pessoa vai e chega dizendo: “Minha vida foi mudada! Nunca mais serei o mesmo!”. Mas o tempo se passa, e quando chega a hora do teste, o individuo não é maduro o suficiente para perseverar. São muitos os que retrocedem. Gary J. Oliver comenta que “muitas vezes diante de um amigo em crise, queremos resolver o problema o mais depressa possível. Seja por que nos sentimos incomodados ou porque o outro se mostra desinquieto, tentamos acelerar o processo e acabamos suturando um corte que não passou por uma boa assepsia” (grifos do autor). Andar com Deus não é apenas um encontro e nem um ato, mas um processo, uma jornada, em que “somos transformados de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor” .

Moisés passou os primeiros quarenta anos de sua vida no Egito, vivendo e sendo criado como um príncipe. Ele foi educado em toda a cultura e religião deste povo. Para prepará-lo para a obra que Deus queria em sua vida, foi preciso fazê-lo viver no deserto (literalmente) por quarenta anos. Moisés só iniciou o seu ministério aos oitenta anos de idade. Quem foi dizer a Faraó que soltasse o povo não foi um inexperiente pastor, mas sim um ancião já moldado pelo calor do deserto. Paulo também demorou quatorze anos, desde a sua conversão, para estar adequado para o ministério. O próprio Jesus só iniciou o seu chamado aos trinta anos. Até esta idade ele estava na companhia do pai aprendendo a carpintaria como um bom filho. Você deve lembrar-se também que foram necessários três anos de discipulado intenso para Jesus modificar o caráter dos seus discípulos. Nem todos perseveraram. Evidentemente, alguns querem ver o processo da mudança de Pedro, Tiago, João e dos demais apenas no Pentecoste, quando eles foram cheios do Espírito Santo. Nada mais longe da verdade. O ferro com o ferro trabalhou por longos três anos até que estiveram habilitados para serem os grandes lideres da igreja do primeiro século.

 

Alcione Emerich

172 comentários

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Livros em Destaque

  • abuso-espiritual
  • contaminacao-espiritual
  • familia-doente-filho-ferido
  • fisico-psicologico-ou-espiritual
  • herncas-do-pasado
  • hernças-do-pasado
  • libertando-os-cativos-02-aluno
  • libertando-os-cativos-02-professor
  • libertando-os-cativos-aluno
  • libertando-os-cativos-professor
  • reconstruindo-o-carater-ferido
  • saindo-do-cativeiro

Escritório Secrai

(27) 3066- 7152  / 3051- 0877faleconosco@secrai.com.br
Av. Eldes Scherrer Souza, 1025, Centro Empresarial da Serra, Sala 409
Laranjeiras – Serra – ES | CEP: 29165-680